quarta-feira, 14 de setembro de 2011

DERMATOMIOSITE FAMILIAR CANINA

Estou com um artigo também de 2007 que parece ser mais completo, porém está em francês. Alguém que saiba francês quer traduzir??? O meu francês restringe a champagne, chantilly, croissant, mon amour e decadence avec elegance!!! 

O trabalho apresenta a Dermatomiosite Familiar Canina, doença pouco conhecida. A DM é uma doença rara que atinge principalmente duas raças de cães (Pastor de Shetland e Collie) e seus mestiços. De ordem auto-imune, que tem por base a vasoconstrição, tem ação degenerativa da pele e dos músculos em geral, de origem hereditária e sem protocolo medicamentoso conhecido. Pode acometer as mais tenras idades (meses de vida). Atinge, na maioria dos casos, com mais intensidade, as fêmeas, por ser intensificada pelas alterações hormonais acometidas durante a gravidez e o cio. Além desses fatores existem, possivelmente, outros tais como a luz solar e o estresse.

MATERIAL E MÉTODOS

Uma cadela da raça Pastora de Shetland, castrada e tricolor, que a partir de seus dois anos está sendo acompanhada e atualmente possui oito anos de idade.

O início da observação se deu com dois anos de idade, quando teve sua primeira ninhada. Nessa ocasião logo após parir, começou a aparecer em sua região peri–ocular algumas falhas de pelagem que foram se transformando em crostas e cascas bem grossas. Abaixo dessas crostas formaram-se feridas bem abertas. A princípio, antes de ser comprovado o diagnóstico de DM, foi tratada com corticóides, que a primeira vista fez algum efeito, mas com o tempo de uso começou a falhar e a não ter efeito algum.

A alopecia facial foi ficando cada vez pior e com o tempo não houve crescimento do pelame. Foi feita biópsia de pele, para simples confirmação do problema. A alopecia estendeu-se para os membros superiores e inferiores, onde também não houve novo crescimento de pêlos. Uma atrofia muscular acometeu a cadela ao longo do tempo, dificultando um pouco sua locomoção.

Como recomendado pela literatura, visando evitar novas crises, a cadela foi castrada, já que os hormônios interferem bastante. Foi alojada reclusa da luz solar, pois  foi observado que expô-la só estimulava a DM.

Em um estresse momentâneo, ela ficou com a pele de seu peito toda edemaciada, túrgida e alopécica. Nesta ocasião, verificou-se a formação de uma bolsa purulenta de tal proporção a ponto de pingar o conteúdo no chão. 

Nessa situação aplicou-se  antibiótico que controlou rapidamente a bolsa purulenta, extinguindo-a. Como não há protocolo medicamentoso, passou-se a usar, mesmo sem posologia recomendada, Talidomida (antiinflamatório) e ácido acetilsalicílico, que tem por função reduzir a formação de trombos. Em uma de suas crises a cadela foi acometida de uma grande necrose na parte superior da região peri-bucal, onde ficou sem parte dessa região, e com os seus dentes parcialmente expostos.

CONCLUSÃO

Com todo o tratamento, a cadela permanece com sua saúde estável até a data da descrição desse estudo de caso. Verifica-se uma grande dificuldade no trato com a doença devido à falta de protocolos medicamentosos na literatura. O que se conclui na realidade é a não existência de estudos sobre o assunto, o que  faz necessário mais pesquisas.

No artigo em francês, os autores citam a pentoxifilina como opção na dose de 25mg/kg q12 horas. (tradutor do google). 






Rev. Univ. Rural, Sér. Ci. Vida. Seropédica, RJ, EDUR, v. 27, suplemento, 2007.








15 comentários:

  1. Amigo,
    Minha filha fala francês fluente se puder me mandar o texto posso falar com ela. Talvez termos médicos e similares ela não conheça. A cadela de um amigo faleceu dessa doença e ele está inconsolável.
    Att.
    Ick

    ResponderExcluir
  2. Irei encaminhar o artigo. Anexo o documento e mando para qual e-mail? Obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Tenho uma cadela mestiça de york com lhasa, e tem essa doença, apareceu com mais ou menos 2 meses de idade, começou com uma crosta emcima do fucinho qd essa crosta caiu sai o pelo junto e nunca mais nasceu de volta. Dai ao redor dos olhos na boca e começou pelo corpo inteiro, trato com corticoide, vitmainas e antibioticos qd faz as feridas muito feia, mas nada mais ta resolvendo pois ja estava com um ano e meio e ja tem resisencia as remedios....sei q são poucos os estudos sobre essa doença, mas gostaria de q se alguem tem alguma novidade sobre isso, eu poderia melhorar a qualidade de vida dela um poco, pq é terrivel essa doenças. Agora pra completar começou a aparecer uns caroços muito estranhos nela, tem muita sensibilidade nas patas...principalmente nas de tras.
    Se alguem tiver alguma novidade sobre a doença,eu agradeceria

    ResponderExcluir
  4. Boa noite,

    Bem, o próprio relato postado no blog diz que a dermatomiosite familiar é uma condição pouco conhecida e também de ocorrência rara. O diagnóstico da sua cadela foi realizado por um médico veterinário dermatologista experiente? Foi realizada a biópsia de pele? Se sim, foi analisada por dermatopatologista? Partindo do princípio que todas as medidas foram adequadas para se chegar ao diagnóstico definitivo da doença, a sua cadela é castrada? O relato do blog cita que os hormônios sexuais atuam de forma prejudicial na doença. Ela já toma corticóide há quanto tempo? Quantas vezes ao dia? Qual a dose? Está sendo acompanhada por um clínico para que os efeitos adversos do corticóide não atrapalhem os efeitos benéficos? Você está ciente de que o uso prolongado de corticóides PODE iniciar doenças como diabetes, pancreatite, gastrite, síndrome de addison e outras? Eu tenho um estudo em francês sobre a dermatomiosite e um colega nos comentários acima disse que a filha dele poderia traduzi-lo, porém ele não respondeu para qual e-mail eu poderia encaminhar o estudo para a tradução. A dermatomiosite é ocasionada por vasoconstrição na pele, ou seja, má circulação sanguínea na pele. O que eu consegui extrair do artigo em francês foi o uso de um fármaco chamado pentoxifilina que promove a dilatação dos vasos sanguíneos e consequentemente uma melhor circulação sanguínea na pele. Converse com o médico veterinário responsável pela sua cadela e ele orientará sobre o emprego desse remédio na terapia da doença, assim como sobre os seus efeitos colaterais.

    ResponderExcluir
  5. bom dia... eobrigada pela resposta, ela toma corticoides desde q apareceu a doença, mas claro começou com uma dose e fomos diminuindo gradativamente. Hoje ela toma 1 x por semana e quanto ao vaso dilatador tb ja tomou, ela não é castrada pq apareceu uns carços no peito dela e tenho medo de na hora de fazer a cirurgia aparece coisas piores e por ela ter a saúde tão sensivel. Foi feito biopsia logo de inicio, a veterinaria dela é muito boa, mas nunca tinha tratado nenhum cão com essa doença, por isso pensei em conseguir ajuda tb pela internet, mas vou ficar sempre dando uma olhada no seu blog, caso apareça alguma novidade.
    Obrigada pela atenção...

    ResponderExcluir
  6. Reli o artigo em francês e ele cita o uso da azatioprina, metotrexato e ciclosporina como agentes imunossupressores e vitamina E por sua ação anti-inflamatória. A castração de sua cadela é essencial para uma melhor resposta ao tratamento. Ela piora quando entra no cio?

    ResponderExcluir
  7. Ela entrou uma vez só até agora, e não vi piora, acho q a doença nela é bem complicada mesmo, pois ja ta quase sem pelos nas costas, tem epocas q piora bastante as feridas dela dai uso cefalexina, mas sem relação ao cio.....e tem dias tb q depois de fazer coco, sai uns coagulos de sangue, dai fica assim uns dias e depois melhora, mas vou falar com a veterinaria sobre os remédios citados acima e ver se vale apena os efeitos colaterais....vou relatando os fatos conforme a evolução da doença. Assim tb vc pode ter mais experiência sobre a doença, pois eu sei q é dificil tratar uma doenças q não tem um tratamento especifico.....
    obrigada....

    ResponderExcluir
  8. tenho uma cachorra collie que em uma área do corpo caiu o pelo e ficou uma crosta seca e também tem perda de pelo pelo corpo mas não tem cheiro e nem umidade só o excesso de perda do pelo e nessa´área da ferida demora a nascer pelo novo, se precisar envio foto, gostaria de ajuda. obrigada

    ResponderExcluir
  9. Olá boa tarde , meu nome é Silvia, tenho uma Bulldog Campeira de 1 ano e 7 meses , castrada, que apresentou os sintomas de DM , foi realiado biopsia e foi sugerido esta doença, está tomando predinisona e pentoxifilina mais vitaminas a 4 dias, apresentou melhoras. A clinica é muito bem conceituada em Curitiba, e é o primeiro caso desta doença lá, gostaria de saber se tem alguma novidade sobre o assunto.
    Obg!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como está sua cachorrinha? Espero que esteja melhorando!

      Excluir
  10. Olá.. estou com um caso de Dermatomiosite e quero relata-lo porem as bibliografias estão dificeis de achar.. poderia compartilhar comigo as que você tem em mãos. Obrigada

    ResponderExcluir
  11. Olá.. tenho um colli de 6 anos e com 4 anos começou ater problemas com Dermatomiosite ja tratei com varios medicamentos !mais o organismo acostuma muito rapido e deixa de fazer efeito. ja não sei mais oq fazer se alguem souber de um modo de tramento mais eficaz me ajude por favor amo de mais ele e sei que sofre muito quando ataca ! muito Obrigada !email. bete-182@hotmail.com

    ResponderExcluir
  12. Vê se encontra alguém que trabalhe com acupuntura veterinária, pois estou tratando, um animal que teve, com acupuntura, procurando estimular o sistema imunológico e a resposta que estou tendo está sendo satisfatória. Já não toma mais corticoides, Pois não combina com tratamento acupuntural, e já estamos diminuindo a ingestão semanal de azatioprina para quinzenal, estipulada anteriormente pelo profissional que começou o tratamento.

    ResponderExcluir
  13. Pessoal, centro nos Estados Unidos de pesquisa desta doença! Eles realizando o exame, apenas necessário o envio da amostra
    Muito receptivos por email!
    http://www.shalaine.com/dm/dm.html

    ResponderExcluir